celebrity-plastic-surgery-5Com todos os exames feitos e liberada pelos médicos, passei a organizar minha vida. Pedi um mês de férias no trabalho, sincronizei com as férias do meu filho e escolhi um período que minha mãe pudesse me ajudar. Não é possível, hoje eu sei mais do que nunca, operar sem ter uma infra-estrutura mínima e alguém para cuidar de você (e do seu filho, se tiver) 24h por dia.

Comprei as cintas pós operatórias, orientada pelo médico. Elas são caras, mas serão seu outfit pelos próximos três meses, quase que uma segunda pele, por isso não é hora de economizar. Outra coisa importante que a clínica me ofereceu, foi uma consulta com uma nutricionista, que me passou uma dieta pré e pós-cirúrgica e uma vitamina para segurar a imunidade. O difícil foi segurar a ansiedade.

É claro que um dia antes da operação, em jejum absoluto de 12h, eu não consegui dormir. Nunca havia tomado um ponto, feito qualquer procedimento cirúrgico, meu filho nasceu de parto normal! Não sabia o que esperar. 

Cheguei ao hospital antes do horário marcado, minha mãe e meu marido foram comigo e meu filho ficou com o meu pai. Fomos para o quarto e esperamos por volta de duas horas até descer para o centro cirúrgico. Não posso fingir que não foram alguns dos momentos mais aterrorizantes da minha vida. Eu estava com muito, muito medo! Colocar aquela roupinha, descer na maca, entrar na sala de cirurgia… Mas eu me controlei e fui até elogiada pelo anestesista pela minha “calma”.

Meu médico me riscou inteira, me deitou na maca e o anestesista me deu a primeira picada. Só acordaria muitas horas depois.

 

 

Advertisements